7º Edição - Prêmio Nobel Física e Química 2019

Este ano o Prêmio Nobel de Física foi concedido a James Peebles, Michel Mayor e Didier Queloz devido às contribuições nas áreas de Cosmologia e Astronomia. James Peebles foi reconhecido por prever a descoberta da Radiação Cósmica de Fundo, essencial para estudar a evolução do Universo. Michel Mayor e Didier Queloz foram reconhecidos pela descoberta do primeiro planeta fora do Sistema Solar, exoplaneta 51 Pegasi b em 1995.

Roberto Manuel Torresi

O Prêmio Nobel de Química de 2019 teve como ganhadores os cientistas John B. Goodenough, M.Stanley Whittingham e Akira Yoshino pelo desenvolvimento de baterias de íons de lítio. Eles criaram um "mundo recarregável", nas palavras do comitê do Prêmio Nobel.O comitê destacou ainda que a bateria é usada para várias finalidades — desde celulares a veículos elétricos — e pode armazenar quantidades significativas de energia solar e eólica, abrindo caminho para uma sociedade livre de combustíveis fósseis.

- Flávia  Sobreira

Prof. Dr. Roberto Manuel Torresi

Bacharel em Físico Química (1980) e doutorado em Ciências Químicas (1986) pela Universidade Nacional de Córdoba, Córdoba, Argentina. Realizou seu pós-doutorado na Universidade Pierre et Marie Curie, Paris, França entre 1988 e 1990 trabalhando com Claude Gabrielli e Michel Keddam. Entre 1990 e 1993 foi professor visitante no Instituto de Física da UNICAMP, Campinas e a partir de 1994 integrou-se como professor doutor ao Instituto de Química de São Carlos (USP), São Carlos onde permaneceu até 2002. Atualmente é professor titular no Instituto de Química da Universidade de São Paulo e editor do Journal of the Brazilian Chemical Society e do Journal of Electroanalytical Chemistry. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Eletroquímica, atuando principalmente nos seguintes temas: líquidos iônicos a temperatura ambiente, microbalança a cristal de quartzo, eletrodos modificados com materiais inorgânicos, orgânicos ou híbridos, baterias de íon-lítio e eletro-intercalação.

Profa. Dra. Flávia Sobreira 

Possui bacharelado e licenciatura em Física pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2005), mestrado em Física pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2007) e doutorado em Física pelo Instituto de Física Teórica (2011). Fez dois anos de pós-doutoramento no Observatório Nacional durante 2011 e 2013. Fez 2 anos de pós-doutoramento no Fermilab durante 2013 e 2015. Atualmente é professora da Universidade Estadual de Campinas. Desde 2012 participa do projeto Dark Energy Survey (DES) e em 2020 iniciou-se no projeto Dark Energy Spectroscopic Instrument (DESI), ambos gerenciados pelo Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LIneA) onde atua nos grupos de estruturas em grande escalas e aglomerados de galáxias. Contribuições de infra-estrutura no Dark Energy Survey culminaram no status de DES Builder. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Cosmologia e Campos, atuando principalmente nos seguintes temas: energia escura, levantamentos fotométricos, estrutura em grande escala do universo, oscilações acústicas bariônicas, aglomerados de galáxias. 

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter

© 2020 Instituto  Principia

Rua Pamplona 145, Bela Vista, 01405-900

São Paulo - SP.